Respiração

  • por

Inspirar, expirar, pausar: micromovimentos que realizamos o tempo todo – muitas vezes sem nem perceber – e que nos mantém vivxs. Para que eles aconteçam, todas as células e tecidos do corpo trabalham em conjunto, numa engenharia tão perfeita que só a natureza poderia criar.

Além de nutrir e energizar, a respiração é uma ferramenta poderosa de conexão que, quando trabalhada de forma consciente, ajuda a trazer a atenção pra dentro e a mergulhar em si, no corpo, nas sensações, permitindo-nos acessar camadas profundas, abrir espaços internos, soltar algumas áreas enrijecidas e despertar outras adormecidas.

O ato de respirar afeta diretamente a forma como nos movemos e nos expressamos. É o nosso canal de troca com o mundo, através do qual ganhamos ritmo e presença. Deixar a respiração fluir significa escutar e respeitar os próprios limites e, ao mesmo tempo, liberar a expressão da nossa máxima potência.

Às vezes, preocupadxs em performar ou ir além do que podemos dar naquele momento, acabamos exigindo do corpo um esforço maior ou até desnecessário, e como resultado disso prendemos ou encurtamos a respiração. Quando isso acontece, o cérebro interpreta que estamos em apuros, e dá o comando para o sistema nervoso central tensionar ainda mais a musculatura, gerando compressão e enrijecimento. Já quando a respiração está suave, o cérebro identifica que está tudo bem, e a musculatura baixa a guarda e relaxa. Com isso, ganhamos espaços nas nossas estruturas e mais conforto no movimento.

Procure perceber como você respira. Sinta, explore, liberte e desperte essa potência. Busque expandir e deixar o ar preencher todo seu corpo. “O modo como você respira é o modo como você vive.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *